• Português (Brasil)
  • English (United Kingdom)
  • Deutsch (DE-CH-AT)
  • Español(Spanish Formal International)
  • Italian - Italy
Quando Panambi começou
Qui, 05 de Janeiro de 2017 09:47

Pelo Rio Grande

Quando Panambi começou

Imigrantes alemães ajudaram a construir a cidade gaúcha

Por: Ricardo Chaves
17/12/2016 - 05h04min | Atualizada em 17/12/2016 - 05h04min


Esta é uma história que talvez ninguém conheça. Ela é importante, porém, porque mostra o nível da origem de destacadas pessoas que escreveram os primeiros anos da colônia de Neu-Württemberg, hoje Panambi. Gente como Marie Faulhaber (1867-1939), a primeira professora a chegar em Nova Württemberg para transmitir seus conhecimentos e ajudar na formação daquele núcleo urbano. Nascida Von Reinhardt, ela era casada com o pastor luterano Hermann Faulhaber, contratado, na Alemanha, para vir ao Brasil dar apoio espiritual e logístico aos colonos que ali se estabeleceram. Stuttgart é a capital da província de Württemberg. Perto dali, o pai de Marie, o general August von Reinhardt, comandava a fortaleza de Hohenasperg, onde ela nasceu.


 

Cinco anos depois, em 1872, portanto um ano depois da Guerra Franco-Prussiana, os pais de Marie, August e Emilie Wiedemann von Reinhardt, tiveram um filho que recebeu o nome de Walther von Reinhardt (1872-1930). Conforme informação da sobrinha, a nonagenária Ilse Koelln, de Mondaí, em Santa Catarina, Walther, como o pai e os irmãos general Wilhelm (médico) e o caçula general Ernst, seguiu a carreira militar, chegando ao posto de general. Casou-se com Luise Fürbringer, de ascendência semita. Na I Guerra Mundial, teve uma participação destacada. Comandou a ofensiva alemã nos Bálcãs (Macedônia) e comandou a sétima divisão alemã na França. No final da guerra, chegou ao posto de último ministro da Guerra do Segundo Império Alemão. Nesta função, ele teve expressiva atuação na desmobilização e na destruição de equipamentos militares do Exército Imperial Alemão (Reichswehr – Defesa do Reino), conforme determinava o Tratado de Paz de Versalhes. Logo após, na República de Weimar, com um sistema parlamentar de governo, a figura de ministro da Guerra foi abolida, porém, ele continuou como comandante das forças militares alemãs, que passaram a ser chamadas de Wehrmacht (Poder de Defesa).
De uma forma decisiva, dedicou-se então ao planejamento tecnológico, com novos condicionamentos logísticos e estratégicos para a recém-formada Wehrmacht, através da mobilidade rápida que pudesse ser uma alternativa de afastar a terrível luta da guerra estática de trincheiras adotada na I Guerra Mundial.
Esta nova concepção técnica, de mobilidade, acabou surpreendendo os analistas militares do mundo no início da II Guerra Mundial, em 1939, nove anos depois da morte do general Walther von Reinhardt.
O pesquisador inglês Willian Mulligan, em seu livro The Creation of Modern German Army (A Criação do Moderno Exército Germânico), apresenta um importante estudo sobre a vida e a obra do general Walther von Reinhardt. Destaca o trabalho realizado durante a organização técnica e logística da Wehrmacht na República de Weimar, que sucedeu o Segundo Império Alemão. Este império foi fundado 47 anos antes, em 1871, após a Guerra Franco-Prussiana, na qual o pai, o general August von Reinhardt, teve marcante participação.
Hoje, para homenagear o general Walther von Reinhardt, alguns quartéis da atual Bundeswehr (Defesa Federal) levam o seu nome. Como se vê, além de dedicados trabalhadores, vieram também da Alemanha pessoas como a extremamente abnegada professora Marie Faulhaber e seu marido, gente muito qualificada que ajudou a construir o nosso Rio Grande do Sul.

Artigo extraído da segunda edição do livro De Elsenau a Panambi, de autoria do doutor Ivo Beuter
Fonte:  http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/almanaque-gaucho/noticia/2016/12/quando-panambi-comecou-8785704.html

 

Patrocínio

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Contador

1133058
HojeHoje177
OntemOntem1272
Essa semanaEssa semana3144
Esse mêsEsse mês16666
TudoTudo1133058
UNKNOWN