• Português (Brasil)
  • English (United Kingdom)
  • Deutsch (DE-CH-AT)
  • Español(Spanish Formal International)
  • Italian - Italy
Viagem para a Alemanha

                                       VIAGEM PARA A ALEMANHA.
                                              De 13 de julho a 08 de agosto de 2007.
                                                                  C A P E F
                             CENTRO DE APOIO A PESQUISAS E ENCONTROS FAMILIARES.
                  GRUPO DE ARTES NATIVAS ANITA GARIBALDI DE ENCANTADO. (Foto abaixo)

   

                                             COORDENADORES DA VIAGEM:
                                                             LUCILDO AHLERT E
                                                      NILSON FRANCISCO THOMAS.

 

                                        RELAÇÃO DOS INTEGRANTES DA VIAGEM.
ROQUE MALAGGI, MARINÊS MALAGGI, ALEXANDRA MALAGGI, MAYARA CORNELLI, DANIEL DAL MOLIN, JOEL A. SCHNORRENBERGER, ANA CAROLINA PEDERIVA, GABRIELA TIECHER, AMANDA DE CONTO, ANALÚ BARBIERI, JACSON BASTIANEL, JONAS BASTIANEL, MARCELO DE OLIVEIRA, LILIANE BLÖMKER, ELISA SCHNORRENBERGER, LUCAS CAPALONGA, ARTHUR CIPRIANI, STEFANI CASAGRANDE, PAOLA ZANON, MARCEL CASTOLDI, MÁRIO NEVES, ROGÉRIO BASTOS, CLÓVIS ANTÔNIO FROZZA, GRAZIELA HEBERLE, EDSON BARBIERI, LEONDA BARBIERI, LUCILDO AHLERT,  GERTA BROENSTRUP AHLERT, NILSON FRANCISCO THOMAS, HEITOR ARNO THOMAS, ARMIN ILDO POTT, BÁRBARA BUHL POTT, DERLI WOLF, MARLISE SCHWAMBACH WOLF, ELIO DAHMER, DALILA DAHMER, VALDIR AHLERT, ILACY AHLERT, LOIVO AHLERT, BRUNO WIEBUSCH, JOSÉ RENATO DE OLIVEIRA BARCELLOS, ASTOR DICKEL, GLACI DICKEL.

                                                              DIÁRIO DE BORDO.
DIA 13 DE JULHO DE 2007, SEXTA-FEIRA.

  Saída de Encantado às 06:10 horas com a Empresa de Transportes Bergatur, passando por Lajeado para apanhar mais alguns componentes do grupo de viagem, por fim para Teutônia, onde se completou o grupo com destino à Europa.

  A saída de Teutônia deu-se ás 08:00 horas. Chegando ao aeroporto Salgado Filho (POA) às 09:10 horas. A saída de Porto Alegre aconteceu às 11:20 horas, fazendo escala em Curitiba.

 No aeroporto do Galeão (RJ) o grupo ficou até às 22:00 horas, tempo suficiente para toda turma almoçar e depois fazer espetáculos, sentando-se no chão do saguão do aeroporto, cantando, dançando, entre outros, atraindo a atenção e aplausos.

 Após, alegres e orgulhosos os nossos jovens do Grupo de Artes Nativas Anita Garibaldi, às 22:10 horas, partimos com a BRA para Madri (Espanha)com escala em São Paulo.
 
                         Aeroporto do Galeão (RJ).

                                          Embarque.
DIA 14 DE JULHO DE 2007, Sábado.
                                     Bom diaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

Eita viagenzinha puxada. Estamos no avião deste 01:30, até agora, 15:45 (horário de Madri), e ainda falta um tempinho para chegarmos. Estamos exaustos, cansados e ainda demoram horaaaaaaaaaaaaaas, prá trazer comida! Coisa de louco! Sentimos falta de um banho, daqui a pouco somos nós a levantar vôo...hahahaha!!!. Aqui dentro parece uma eternidade, (acabamos de avistar Portugal, Terra Firme!), mas só em pensar o que nos espera nos próximos 24 dias compensa todos esses sacrifícios, que, ainda não citei, se somaram com muitas horas no aeroporto e mais algumas de atraso na decolagem...é o Brasil né?!  Vamos conhecer países de Primeiro Mundo, com certeza as diferenças serão gritantes aos nossos olhos! É esperar pra ver...

 Domingo, 04:45 da manhã. Estamos acomodados temporariamente na escola onde acontecerá o festival. Nossa... sem palavras para descrever a sensação de conhecer a Alemanha! Pelas coisas que vi, já deu para perceber o quanto este país será maravilhoso de conhecer.

 Depois de mais de dez horas de vôo, chegamos a Madri, às 16:44 horas e deu um problema com as caixas que estavam transportando nossas pilchas e com a mala de nossa colega Gabi. Nossas caixas ficaram em São Paulo e a mala da Gabi ficou em Madri. Ficamos muito chateados, mas medidas já foram tomadas para solucionar estes problemas. Saímos de Madri em “cima do laço”, por conta do atraso do nosso vôo no Brasil.

 Chegamos a Colônia (Alemanha) em torno das 22:00 horas da noite. Fomos jantar em um lugar muito legal. Pegamos o ônibus rumo a Laggenbeck, em torno das 03:00 horas e chegamos aqui em torno das 04:00 horas. Estamos neste momento esperando nossos hospedeiros, todos ansiosos para conhecê-los, descarregar as malas, mas principalmente: TOMAR UM BANHO!

 Total: 41 horas de viagem, deste o momento da saída de Encantado.
  
                     Café da manhã na escola em Laggenbeck.
   
                                   No lonão em Laggenbeck.             
 
                                      Grupo da Noruéga.
            

                       Grupo da Bósnia Herzegovina.
DIA 15 DE JULHO DE 2007, DOMINGO.

Domingo, 1° dia que realmente estamos em Laggenbeck, onde acontece a partir de 3ª feira, dia 17, o 10° Encontro Internacional de Grupos de Danças Folclóricas, promovido pelo KAB-Volkstanzgruppe. Ainda na madrugada nos serviram refrigerantes e cervejas nas dependências da Hauptschule. Na manhã nos serviram um café acompanhado de salgados e doces. Por volta das oito horas começaram a chegar os hospedeiros, e recebidos com aplausos. O Senhor Tony Glaβmeier, presidente do grupo organizador do evento fez uso da palavra, e em nome da comunidade manifestou sua alegria, dando as boas vindas ao nosso grupo. Seguiu-se a chamada dos integrantes brasileiros e os respectivos hospedeiros e a entrega do material de orientação durante o evento. Apanhamos nossas malas, e já com os relógios ajustados para o horário local (+ 5 horas), os respectivos hospedeiros nos conduziram até suas residências e nesta hora que aconteceu o tão esperado banho e um descanso.

A tarde estava livre para todos, cada qual a aproveitou da melhor forma e combinado com seus hospedeiros. Ás vinte horas aconteceu um encontro informal no Volkstanzheim, entre comunidade, hospedeiros, integrantes dos grupos já presentes: Brasil, Polônia, e Bósnia Herzegovina, com muita música da Orquestra de Laggenbeck e também de músicos dos grupos, com danças de integração, formando um clima muito alegre. Ressaltamos o grande empenho dos organizadores e a comunidade, dando oportunidade para esta integração de jovens de diversos países distantes. 
 
                                   Grupo da Polônia.
                                                                                                                      
                   Grupo KLB de Laggenbeck, Alemanha.

 
                                   Grupo da Eslovaquia.

                                      Grupo da Finlândia.
DIA 16 DE JULHO DE 2007, SEGUNDA-FEIRA.

Segunda-feira, segundo dia em Laggenbeck, todos descansados e adaptados ao fuso horário e também aos costumes de cada família. Muitos foram visitar outras cidades acompanhados de seus hospedeiros. O dia estava livre para descanso e a noite o grupo participou da 2ª confraternização grupos na piscina municipal, esta onde grande parte do grupo foi se banhar a tarde, assim como os guris jogaram futebol com os alemães, com uma grande goleada nossa, eles até pediram para parar o jogo. Mas voltando a festa, ela estava muito divertida, ainda mais que os últimos grupos acabam de chegar, muitos cantos e muita cerveja. Por fim, como todo grupo, estou preocupado pelo fato de a caixa com as nossas indumentárias de dança não tenha chegado ainda, isto está tirando meu sono. 
 
                             Grupo da Irlanda.

                               Grupo de Treviso, da Itália.   
 
Delegações presentes no 10º Festival Inter. do Folclore de Laggenbeck.

       Senhor Joseph Glassmeier e esposa (o idealizador do Festival)
 
                            Desfile em Tecklenburg.

                              Desfile em Tecklenburg.
DIA 17 DE JULHO DE 2007, TERÇA-FEIRA.

Terça-feira, terceiro dia em Laggenbeck com agenda bastante movimentada. Atendendo a sugestão de alguns que foram no dia anterior, boa parte dos jovens, neste dia, foram de trem até a cidade de Osnabrück. Fomos às 09:00 horas em ponto e voltamos às 14:15 horas.  Foi realmente uma boa sugestão daqueles que foram no dia anterior. Muita coisa importante se viu por lá, como as igrejas católica e luterana, o “Freiheit Rathaus”, onde em 1648 foi assinado o Tratado da Paz de Westfália. Outros ainda aproveitaram para fazer algumas compras. Os que não foram ou ficaram com suas famílias,
ou foram passear em outras cidades. Osnabrück é a cidade da liberdade, “Freiheitstadt”. No dia de ontem tivemos a oportunidade de conhecer a “POTT´S BRAUEREI GmbH”, na cidade de Oelde, não muito distante de Laggenbeck. Quem nos levou foram nossos hospedeiros Ernst Wilhelm e Maria Westermann, visitas aliás, que recomendamos, pois se pode ver como é o processo de fabricação das cervejas caseiras na Alemanha.

O mais importante, porém ainda estava por vir: o primeiro encontro de todas as delegações participantes no Lonão, (Zelt) que foi montado especialmente para o Evento, com início às 16:00 horas. Por ali já podia se ver a grande integração que será o Encontro. Logo de início, a delegação da Itália, começou a cantar, o que todos adoraram e aplaudiram. Não demorou muito e todos nós do Brasil entrávamos com as demais delegações. As delegações do Brasil, Itália, Polônia, África do Sul, e Irlanda, foram as mais festejadas. Também as demais tocaram músicas, que todos ou muitos já conheciam. Tudo com fartos lanches e muita cerveja.  Logo depois, todas as delegações foram a pé pelas principais ruas da cidade até a “Hauptschule”, ou seja, a principal escola para então às 19:30, todas as delegações se apresentarem. Ainda, às 16:00 horas, autoridades locais usaram da palavra, desejando boas vindas. Outros fatos curiosos foram as dezenas de fotos que foram tiradas, tanto no Lonão, como na Escola Principal. Temos que destacar que houve grande integração já nos primeiros dias do Evento, tanto no domingo, como na segunda-feira. Também houve a integração dos associados do CAPEF, em busca de suas descendências e parentescos na Alemanha.  
 
     Presidente e Vice do Festival, Toni Glassmeier e Sonja Driemeier.

                           Noite de integração no Festival.
  
                     Grupo da Suazilândia, África do Sul.

                        Grupo de Hengelô, da Holanda.
  
                      Grupo de Hamburgo, Alemanha.

                       Grupo de Heppenheim, Alemanha.
DIA 18 DE JULHO DE 2007, QUARTA-FEIRA.
      Às 10:00 horas fomos para Gravenhorst, Ibbenbüren, visitar um antigo castelo, um lugar muito lindo, por sinal. Às 13:30 horas, depois de almoçar, fomos visitar uma casa de idosos, onde cantamos e dançamos, para eles e com eles. Foi um momento muito bonito e solidário. Logo depois fomos para outro lar de idosos e repedimos a apresentação. Às 17:00 horas voltamos para a escola em Laggenbeck e combinamos (de certa forma) o horário e a roupa para irmos para a apresentação em um antigo burgo, em Tecklemburg. Um lugar maravilhoso, com muitas pessoas presentes. Aqui acredito que foi um dos momentos mais difíceis do dia para os dançarinos, pois tivemos que dançar sem as nossas pilchas! Apresentamo-nos logo após o grupo da Suazilândia (África do Sul), que deu um show!

 Ainda pela manhã recebemos a notícia de que um avião vindo de POA, da TAM, não conseguiu frear no pouso em SP e bateu em um posto de gasolina, resultando em cerca de 180 mortos, entre eles o deputado Júlio Redecker. Sentimos muito.

  
             Visita ao Lar para Idosos em Gravenhorst, Ibbenbüren.

            Visita ao Lar para Idosos em Gravenhorst, Ibbenbüren. 
DIA 19 DE JULHO DE 2007, QUINTA-FEIRA.

De manhã nos reunimos na escola e às 9:30 horas, saímos de ônibus para Hengelô, uma cidade na Holanda, distante a +/- 70 km de Laggenbeck. Fomos para um Centro de Eventos, onde o Prefeito de Hengelô saudou a todos os presentes. Ainda assistimos a uma apresentação de danças do Grupo da Irlanda e após foi servido um lanche, com panetone (Cosinenbrod), café e chá. Em seguida rumamos para outro ponto da cidade, onde foi armado um palco ao ar livre, quando se apresentaram os grupos de danças GAN Anita Garibaldi do Brasil, Eslováquia, Irlanda e Polônia. No Centro de Eventos também foi feita uma foto coletiva de todos os Grupos de Danças presentes. Outras curiosidades sobre Hengelô;

  • 140.000 habitantes,
  • Língua Oficial: Holandês, mas não tivemos dificuldade em nos comunicar em alemão e o alemão-sapato-de-pau.
  • Encontramos uma Casa Brasil (restaurante) em Hengelô que atende só em fins de semana.
  • Todos ficaram admirados com a enorme quantidade de bicicletas e a grandiosidade dos estacionamentos só para este meio de transporte.
  • Em relação ao trânsito observamos que tem a calçada para os pedestres, a via para os ciclistas e outra para automóveis.
  • A sinalização nas autovias internacionais, estaduais e municipais, é uma perfeição, pois tudo é sinalizado e com bastante clareza para fácil interpretação. Além disto, vemos transito intenso, mas sem acidentes, pois todos respeitam as leis do trânsito e na medidas de segurança.
  • Hengelô também tem os serviços de transporte por trem para passageiros, assim como na Alemanha, ambos também têm o trem de cargas.    Às 16:20 horas voltamos para Laggenbeck. À noite os jovens participaram das atividades sociais e de intercâmbio promovidas na sede do evento. Houve muita festa!!!  


DIA 20 DE JULHO DE 2007, SEXTA-FEIRA.

Nosso dia começou cedo. O grupo se reuniu na escola em Laggenbeck, pois fomos nos apresentar em Ibbenbüren, que é uma cidade bem próxima de onde estamos. Lá foram feitas duas apresentações, uma às 10:00 horas e outra às 11:30 horas.  Ao meio dia fomos para as casas onde estamos para almoçar com os nossos hospedeiros. À tarde o grupo organizou um churrasco bem brasileiro na casa do Peter Heldet, todos os integrantes do Anita estavam presentes. Foi uma festa maravilhosa, todos os alemães que estavam lá, amaram. Adoraram nosso jeito de cantar, de comer e confraternizar. A noite tivemos a festa do jubileu onde cada grupo tocou suas músicas típicas e ensinaram suas danças aos outros com o grupo musical, foi ótimo, tocando desde músicas tradicionais até músicas de danças de salão.  


DIA 21 DE JULHO DE 2007, SÁBADO.

 Reunimo-nos pela parte da manhã na escola para fazer um ensaio com uma coreografia com as tochas para o encerramento do Festival. Meio dia, almoçamos na casa de nossos hospedeiros e às 15:00 horas nos reunimos no Zelt (Lonão) construído na cidade, em função do evento, e lá nos apresentamos por volta de 16:00 horas. Os integrantes do CAPEF organizaram para este dia uma demonstração da Culinária Gaúcha. O grupo fez um carreteiro com 8 kg de arroz e 5 kg de carne num grande panelão. Além disso, foi feito xixo (carne, tomate e cebola), caipira e chimarrão. Os 4 litros de cachaça trazidos do Brasil foram consumidos em pouco tempo. Às 17:00 horas da tarde estava tudo consumido. Foi dos grupos estrangeiros, um dos mais visitados. Após o encerramento da Culinária e da apresentação voltamos para a casa de nossos hospedeiros e às 19:30 horas uma parte do pessoal do grupo foi jantar em uma pizzaria e outros foram direto no galpão, para a festa da noite. Ficamos lá e, em torno de 23:30 horas, o grupo retornou para as casas em que estavam hospedados.
 

   Integrantes do Capef nos preparativos do carreteiro e xixo no dia da
              culinária das delegações participantes do Festival. 
DIA 22 DE JULHO DE 2007, DOMINGO.

O dia amanheceu com sol, aliás, como em todos os dias, permitindo que o programa do evento seja realizado sem maiores transtornos. Hoje é um dia muito especial para o nosso colega Marcelo de Oliveira Azevedo, que está de aniversário e certamente um dia mais especial ainda por este estar sendo comemorado aqui na Alemanha. Parte do grupo participou da Missa e outra parte aproveitou para descançar e recuperar energias, pois já são vários dias com agenda lotada e muita festa. O Senhor Élio Dahmer, Presidente do Capef, leu um texto de evangelização em português, durante a Missa, que foi ecumênica. Ao meio dia todo grupo almoçou com seus hospedeiros e às 15:00 horas todas as delegações se reuniram na Hauptschule para depois seguir até o local aonde ia se iniciar o desfile de encerramento. O desfile atraiu um grande público e, segundo alguns organizadores, o maior público visto até agora em um desfile de encerramento. Todas as delegações foram muito aplaudidas durante a caminhada e nas pequenas demonstrações que fizeram em determinados trechos do desfile. O desfile terminou na Hauptschule e o público ainda estava se acomodando quando começou a chover. Todos torceram para que parasse logo de modo que o evento pudesse fechar com chave de ouro e foi o que aconteceu. Iniciaram-se as apresentações com um pequeno intervalo em função da chuva que voltou e logo parou e para secar o palco de modo a não prejudicar as apresentações. Após cada apresentação, todos receberam uma lembrança do Grupo KAB Laggenbeck e da mesma forma todos retribuíram com lembranças e mensagens de agradecimento aos organizadores e hospedeiros. O nosso grupo entregou para cada grupo estrangeiro uma lembrança juntamente com material de divulgação da nossa região, de modo a buscar um maior intercâmbio, bem como para lembrá-los da nossa participação no mesmo evento. Ao final de nossa apresentação recebemos dos Presidentes Organizadores do Evento, Tony Glaβmeier e Sonja Driemeier, a nossa lembrança. Em nome do grupo o Coordenador da viagem, Sr. Lucildo Ahlert, agradeceu falando em alemão surpreendendo o público que ainda não conhece esta parte do Brasil. A nossa lembrança foi entregue pelo Senhor Roque Mallagi. O grupo ainda aproveitou para prestar uma homenagem ao pai de Tony, Sr. Josef Glaβmeier, idealizador do “Begegnungswoche”. A homenagem foi prestada pelo grupo da danças alemãs “Westfälische Tanzgruppe”, que surgiu graças a este intercâmbio que iniciou em 1994 e pelo município de Westfália como forma de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados em prol da preservação da cultura westfaliana no município. O grupo de danças alemãs hoje realiza apresentações em todo Estado e fora dele, tendo participado do 8° Encontro Internacional do Folclore em Laggenbeck no ano de 1997. Ao término das apresentações apagaram todas as luzes e teve início a Dança das Tochas (Fackeltanz), envolvendo todas as delegações presentes ao evento. Foi um espetáculo e emoção muito grande. Logo após, Tony agradeceu a todos os colaboradores do evento e desejou uma ótima viagem de retorno a todos as  delegações e para encerrar anunciou a música “Ein Schönes Land”, cantada em pé pelo grande público presente. Era o fim do evento com chave de ouro. A nossa participação ficará marcada na história. As apresentações foram feitas apesar de não termos as pilchas e demais materiais necessários. O que valeu foi a participação e a divulgação do nosso folclore gaúcho. Parabéns a todos.
 

     Integrantes do Capef no desfile de encerramento do Festival em
              Laggenbeck e com a comissão organizadora.
DIA 23 DE JULHO DE 2007, SEGUNDA-FEIRA.

Esta segunda-feira foi reservada para cada um do grupo fazer o seu programa junto com os seus hospedeiros, sendo o café da manhã e o almoço na casa dos mesmos. Alguns integrantes do grupo foram levados por seus hospedeiros para visitar e conhecer as cidades de Osnabrück, Münster e Bremen, a cidade denominada de “Die Bremen Stadt-Musikanten”. A noite houve uma confraternização do grupo na casa dos hospedeiros da Família de Bernd e Ruth Möening, onde foi oferecido com lanches e bebidas para todos os participantes. Por fim foi feito uma foto do grupo com todos os hospedeiros presentes e em torno das 23:00 horas todos se retiraram para as suas casas. Houve também uma reunião de integração entre os descendentes da Família Ahlert do Brasil e da Alemanha, em Emsdetten com 40 participantes. 
 

            Noite de festa em Laggenbeck com hospedeiros

                                           Hotel em Osnabrück
DIA 24 DE JULHO DE 2007, TERÇA-FEIRA.

Terça-feira, o dia da saída de Laggenbeck e despedida da 1ª parte da viagem, foi uma emoção muito grande, todos os hospedeiros estavam de olhos vermelhos e chorando, depois de nós falarmos as últimas palavras. Chegou o embargue, fizemos o retorno e passamos pela frente da escola e abanamos e aplaudimos de dentro do ônibus. Logo se falou da viagem de cinco horas, que nos levaria até a parte Oriental da Alemanha. A cada duas horas fazia-mos uma parada e o grupo estava numa harmonia muito grande e todos pensavam que havíamos superados todos os obstáculos. Após a primeira parada o nosso motorista Toni, transmitiu para o grupo que nós teríamos mais treze dias no ônibus, e que deveríamos zelar por ele e logo entendemos o regado, desta forma foi um dia especial. Chegamos a uma região muito linda, sempre por uma auto-estrada, com muitos geradores de energia eólica ao longo do percurso, e grandes extensões de lavouras de trigo, beterraba, cevada e milho. Para a maior parte do grupo, era a primeira vez que vira o leste da Alemanha. Cruzamos a antiga divisa das duas Alemanhas e a curiosidade foi tomando conta. No fim da tarde estávamos na cidade de Grimma. Em seguida nossos hospedeiros chegaram ao Nicolai Platz e assim o dia foi encerrado com muita emoção. Nossos hospedeiros são simples, ele é cozinheiro de um Hotel e ela trabalha em casa. Quero aqui deixar registrado a satisfação de estar com vocês nesta viagem e  isto supera qualquer dificuldade.
   
                       Hotel Fazenda em Grimma.

   Ruínas do Convento de onde Martin Luther levou Catarina von Bora.
DIA 25 DE JULHO DE 2007, QUARTA-FEIRA.
        Hoje o dia estava muito frio, nem parecia o verão europeu. Saímos de Grimma às 8:30 horas rumo a cidade de Dresden. Em Dresden fomos acompanhados por uma guia que nos explicou tudo em espanhol sobre essa maravilhosa cidade histórica. Apesar de hoje ser uma linda cidade pela sua arquitetura histórica através de suas igrejas prédios, edifícios barrocos, galerias de artes, praças e monumentos, passaram por uma grande destruição
durante a segunda guerra mundial. Dentre muitos nomes importantes desta história podemos destacar o Johann Augustus (1822-1882), o príncipe Augusto, o Forte. Outra celebridade é a Anna Constantina de Cosel que casou com príncipe Augusto e transformou-se em sua cortesã oficial. Mais tarde se tornou a condessa de Cosel e ganhou todos os benefícios de um membro da família real e o castelo de Pillnitz. O príncipe governou Dresden entre os séculos 17 e 18 e nesse período sua força e astúcia política fizeram prosperar a cidade. Grande parte do seu atual glamour foi obra da sua ambição.  A maior torre de igreja de Dresden possui 101 metros de altura, sendo que a maior parte dos monumentos é banhada em ouro ou cobre, apesar dos estragos que atingiram a cidade. Dresden ainda está sendo reconstruída, mas mesmo assim, encanta a todos que a visitam. Retornamos às 14:00 horas ao ônibus e a chegada em Grimma foi às 16:00 horas. A apresentação ocorreu no Sozioculturelles Zentrum juntamente com outras apresentações dos grupos locais, sendo o término às 21:00 horas.
       
                                        Em Dresden.

                              Igreja em Dresden.
DIA 26 DE JULHO DE 2007, QUINTA-FEIRA.

 Seguindo a programação, saímos às 7:00 horas em direção à Capital Berlim, aproximadamente três horas de viagem. Ao chegarmos, nos deparamos com uma cidade bastante desenvolvida e em constante crescimento, sendo o maior canteiro de obras do mundo. Visitamos vários pontos turísticos na parte da manhã e após um razoável almoço, tivemos até às 15:00 horas para olharmos as lojas, já que para comprar não houve tempo.  

    
                         Rathaus (Prefeitura) em Leiptzig.

            Igreja em Leiptzig (Johann Sebastian Bach).
    
                              Hotel de luxo em Dresden.

    Monumento simboliza a vitória sobre Napoleão Bonaparte.(Leipzig)            
DIA 27 DE JULHO DE 2007, SEXTA-FEIRA.
       Dia 27/07, nosso último café da manhã na cidade de Grimma. A despedida foi menos sentida, pois passamos apenas dois dias com a família. Precisamente às 8:30 horas saímos em direção a Mühlhausen, ficamos cerca de cinco horas dentro do ônibus o que tornou-se rotina em nossa viagem. Quando chegamos o pessoal da cidade nos ofereceu um ótimo almoço: salsicha com pão e bebidas. No local está organizado um parque chamado Memorial dos Povos Germanos que tivemos oportunidade de conhecer. As construções são réplicas que mostram as casas e depósitos de mantimentos rústicos utilizados pelos germanos na época que os mesmos ainda viviam em tribos. Após fomos visitar um ponto turístico da Alemanha: a árvore e uma praça que simbolizam o ponto central do país.
    
                Em Mühlhausen com o Prefeito Pappendin.

                   Vista na cidade de Mühlhausen.
DIA 28 DE JULHO DE 2007, SÁBADO.

Acordamos por volta das 07:00 horas da manhã para tomar nosso café da manha na cidade de Mühlhausen. Logo após fomos para o local de encontro para a saída à cidade de Morbach. A viagem teve duração de aproximadamente quatro horas e trinta minutos, por volta das treze horas da tarde no Holzmuseum onde nos foi servido um prato de lentilha com salsicha. Logo após o almoço fizemos uma breve visita pelo interior do museu onde há várias peças de madeira, jogos, esqueleto etc. Após fomos encaminhados aos hospedeiros e em seguida nos encontramos em uma festa “quermesse” no centro da cidade de Morbach. Apesar da decisão tomada parte do grupo (de não se apresentar) quatro casais e os dois músicos se apresentaram, rendendo-se a gentileza dos hospedeiros e a tradição do RS e a nossa pátria.

DIA 29 DE JULHO DE 2007, DOMINGO.

Às 09:00 horas, saída de Morbach para um passeio à cidade de Trier que fica à 57 km. Temperatura de 14°C em pleno verão. O caminho para Trier tem paisagens lindíssimas, tudo com plantações de uvas (Weinbergen) e a Autobahn acompanhando o Rio Mosel. Trier é uma grande metrópole da antigüidade, naquela época (idade média) existiam 60 a 80 mil habitantes. Trier é a cidade mais antiga da Alemanha e tem atualmente uma população de cem mil habitantes. No ano 56 a/c, aconteceu a invasão Romana, que permaneceu até e o século V. O nome do Eremita era Simeon, por isso a avenida principal da cidade chama-se Simeonstraβe. Os Romanos (que construíram os quatro portais de entrada para a cidade) ficaram em Trier até o ano 500 d/c, quando cederam lugar aos Germanos. Depois a invasão Espanhola, chefiados por Napoleão, que mandou destruir as igrejas construídas sobre os edifícios Romanos para restabelecer o mesmo. Trier é a cidade onde nasceu Karl Marx, que viveu nesta cidade até a adolescência e era uma cidade militar onde se tomavam as grandes decisões (estratégicas). Parte do grupo fez visitas à monumentos, a Basílica, a Igreja Luterana, ao Palácio dos Príncipes e outros fizeram compras. Às 13:00 horas, almoço nos hospedeiros. Às 17:00 horas, concerto na Igreja (Wahlholzkirche)  que fica entre duas comunidades de Hunolstein e Morbach. Na saída da igreja a Frau Bárbara, esposa do Pinter, estava esperando para fazer a comunicação da chegada das caixas com as pilchas. 
    
                                 Catedral em Trier.

                               Muralhas romanas em Trier.
DIA 30 DE JULHO DE 2007, SEGUNGA-FEIRA.

Marcada a saída para as 07:30 minutos de Morbach, região do Estado de Rheinland-Pfalz. Saímos às 08:10 horas, chegando às 08:30 horas à cidade de Idar-Oberstein, onde o grupo brasileiro recebeu as boas vindas ainda no ônibus pela Senhora Margot. Um casal entrou no ônibus e entoou dois cânticos alemães de boas vindas. Às 08:45 horas dirigimos-nos a Rathaus (prefeitura), onde o prefeito (Bürgermeister)  Bruno, recepcionou o grupo, e este por sua vez cantou duas músicas que simbolizam o Rio Grande do Sul, Querência Amada e Céu, Sol, Sul, Terra e Cor. A história de Idar-Oberstein tem ligação com cidades brasileiras e gaúchas, como Ametista do Sul, por ser uma cidades que importa muitas pedras preciosas. O pórtigo da cidade é todo feito com pedras preciosas. Continuando o prefeito fez um discurso de agradecimento, dizendo que a cidade tem muitas ligações com o Brasil e aqui moram muitos brasileiros. Alguns fizeram compras e outros subiram o morro, “Felzkirche”. Às 12:35 horas, almoço com o grupo na prefeitura, oferecido pelo prefeito... (não era churrasco alemão), um ensopado de legumes com carne e pão com bebidas a vontade. Após a saída do almoço, o grupo fez visita à residência da Senhora Margot Schramm que recepcionou os integrantes com salgados, chocolates e bebidas. Aproveitamos para festejar o aniversário do presidente do CAPEF, Sr. Élio Dahmer. A noite, participamos da quermesse em Argenthal, localidade próxima de Rheinböllen, onde estamos hospedados. Após, o grupo fez visitas a pontos turísticos de Idar-Oberstein, entre estes alguns do grupo visitaram a Igreja construída na rocha, "Felzkirche". Amanhã tem mais. Já são 17 dias longe de casa.

                        Na Prefeitura em Rheinböllen.
DIA 31 DE JULHO DE 2007, TERÇA-FEIRA.

Saída de Rheinböllen às 09:30 horas com visita para compras e almoço no Globus Handelhof, em Simmern, onde todo grupo teve oportunidade de realizar compras e saborear um gostoso almoço. Às 13:15 horas, o grupo dirigiu-se á St. Goar, para visitar o famoso castelo “Burgruine Rheinfels”, com início de sua construção registrado em 1245 e constantemente, durante 500 anos subseqüentes, recebendo ampliações conforme necessidades da época e para atender suas finalidades que era de cobrança de impostos (pedágio) pelo Rio Reno, local onde se situa, dos barcos que ali transitavam, levando e trazendo mercadorias dos pontos e locais de produção da Alemanha.  No castelo, a população girava em torno de 2.000 soldados. Tinha também passagens secretas, postos de observação, cadeia para os infratores que não queriam pagar o imposto.  Ás 15:30 horas, após breve passagem pela orla do Rio Reno, iniciamos viagem de retorno, chegando à Rheinböllen ás 17:00 horas, onde sempre gentis os hospedeiros nos aguardavam. Às 19:30 horas dirigimos-nos a Römerhalle, local de mais uma apresentação do Grupo de Danças Anita Garibaldi. Às 21:00 horas, teve início a programação com apresentações de corais e grupos de danças locais, além da Banda de músicos, Happy Brás, de Kappesberg, da cidade de Salvador do Sul, RS, do maestro Airton Grave. Ressaltamos no evento a participação de diversas autoridades do local e de cidades vizinhas, como prefeitos, vereadores, deputados e autoridades religiosas. Também foram trocadas lembranças entre os representantes locais e integrantes do CAPEF e GAN Anita Garibaldi. Ressaltamos e parabenizamos o esforço do Sr. Roque Mallagi, em manter o grupo de danças sempre unido e em alto astral, com a coordenação do professor Daniel, bem como parabenizamos o Sr. Lucildo Ahlert, pela montagem do programa da viagem de ótimo aproveitamento e possibilidade de grandes conhecimentos históricos e culturais.
     
                               Castelo em Sant Goar.

                          Rio Mosel em Sant Goar.
DIA 01 DE AGOSTO DE 2007, QUARTA-FEIRA.

Depois de uma noite curta para descansar, fomos convidados pelos hospedeiros para tomar um gostoso café da manhã. Após as trocas de presentes, rumamos para o ônibus e ás 08:30 horas, iniciou a viagem até Eckelsheim, onde chegamos por volta das 10:00 horas. Fomos recepcionados na “Kulturhaus”, onde podíamos apreciar algumas peculiaridades locais ou comprar pequenas lembranças. Fizemos um passeio no local para olhar a igreja, uma estrebaria que foi reformada e remodelada para restaurante em estilo colonial, mais um outro local para festas e confraternizações. O passeio prolongou-se até um parreiral de uvas, numa coxilha próxima a cidade. Do alto tínhamos uma bela vista dos arredores e seguimos adiante, sempre a pé, até uma igreja antiga do ano de 1519, em que no subterrâneo havia um secador de linho. Ao lado havia muitos pés de flaumas, muito gostosas e apreciadas por todos. Ainda fomos conhecer uma máquina colheitadeira de uvas em uma propriedade. Por volta de meio dia, foi servido um almoço, que teve como prato principal, massa com molho branco, acompanhado de pão e bebidas. Eckelsheim  é uma cidade pequena do interior sem comércio, nem sequer uma padaria, todos trabalham fora. Às 16:00 horas, fomos distribuídos entre os hospedeiros que nos acolheram em suas casas. De noite participamos de um evento cultural no salão da comunidade local, quando se apresentou um coral e um grupo de danças, além do nosso grupo convidado.  
     
                Ruínas de uma igreja de 1519 em Eckelsheim.

                   Videiras (plantação de uvas) em Eckelsheim.            
DIA 02 DE AGOSTO DE 2007, QUINTA-FEIRA.

  O dia começou bem. Tomamos o café da manhã na casa de nossos hospedeiros, Anita e Manfred, juntamente com nossos colegas Jonas, Jacson, Clóvis Lili e Elisa. Depois de um farto café da manhã, saímos ás 08:00 horas em direção á Bingen, onde fizemos um passeio de navio pelo Rio Reno, com destino á Rüdesheim. Após este passeio, fomos às compras. Em torno das 15:00 horas, fomos nos apresentar em um Spa chamado “Kurpark”, na cidade de Bad Kreuznach. Foi uma bela apresentação e nosso público, mais uma vez, pediu bis. Na chegada à cidade onde estamos hospedados, muitos integrantes do grupo foram degustar vinho na vinícola “VEINGUT WOLF”. O dia foi muito bom!
    
                             Passeio pelo Rio Reno em Binger.

                           SPA em Bad-Kreutznach.                           

                           Praça em Bad-Kreutznach no SPA.
    
                                Videiras na margem do Reno.                                                               
DIA 03 DE AGOSTO DE 2007, SEXTA-FEIRA.
       Saímos às 08:15 horas de Eckelsheim. Deixamos para trás as caixas e algumas malas dos integrantes que serão levadas no domingo pelo nosso amigo Manfred Lahm. Com isso conseguimos colocar no ônibus, as sete malas compradas em Simmern, em que foram empacotados os trajes. O Sr. Élio Dahmer e sua esposa Dalila, não nos acompanharam na viagem ao sul. Preferiram ficar em Eckelsheim para visitar famílias amigas que já estava previsto no plano de viagem, pois retornarão em meados de agosto. Depois de duas horas e quinze minutos de viagem, fizemos a primeira parada na cidade de Stuttgart, onde como sempre, a maioria dos integrantes foram ao banheiro e depois fizeram as suas comprinhas. Neste período aconteceu um fato curioso: a Graziela Heberle não desembarcou e quando acordou, o ônibus já estava chaveado e só conseguiu sair na volta do Tony ao ônibus. Seguimos viagem às 11:00 horas e fizemos uma nova parada em Hemmingen, ás 12:45 horas, onde alguns comeram algum lanche. Lá esperamos o organizador da viagem no sul, Sr. Hans Rothärmel. Às 13:15 horas fizemos o encontro com o organizador e seguimos viagem para Lindau às 13,30 horas. Às 14:30 horas chegamos a Lindau que fica numa ilha no Lago de Constança. O Lago de Constança faz a divisa entre os países da Alemanha, Áustria e Suíça. A cidade de Lindau é uma cidade turística e tem aproximadamente 20 mil habitantes. Na ilha moram em torno de 8.000 habitantes. Lá se encontra a antiga prefeitura construída no ano de 1245. Existem muitas lojinhas, restaurantes, bares e hotéis. Avistamos também o porto que é uma entrada da Alemanha. Esta cidade não sofreu com os bombardeios da 2ª guerra mundial em função de ficar na divisa com a Suíça. Às 5:00 horas todos estavam no local marcado para embarcar no ônibus. Uns vieram de táxi e muitos se deliciaram fazendo compras. A próxima parada foi novamente em Hemmingen onde desembarcaram o Hans e o Fritz para pegar o carro e mostrar o caminho até Ottobeuren. Chegamos à cidade de Ottobeuren às 18:45 horas. Visitamos lá a igreja mais bonita do sul da Alemanha de estilo barroco. A mesma foi construída durante 29 anos, a partir de 1737. Ao lado existe um mosteiro que hoje possuí 10 monges. O complexo todo foi passado ao Estado em 1806, pelo imperador francês Napoleão Bonaparte. Na igreja todos ficaram muito impressionados, alguns rezaram individualmente e foi formado um grupo que rezou em conjunto o Pai Nosso.  Muitos se manifestaram agradecendo a Deus pela viagem e pedindo proteção aos integrantes até o final da viagem. A igreja em Ottobeuren está sendo restaurada e o custo previsto é de 20 milhões de euros. Às 19:30 horas saímos e nos dirigimos até Mark Rettenbach. Chegando lá, esperamos no ônibus para que o pessoal pudesse organizar a recepção. A primeira surpresa foi que estavam lá vários brasileiros, entre estes o Ari Konrad, sua esposa e filha Sandra. Os cumprimentos foram muito grandes. Uma surpresa parecida já tinha acontecido na igreja em Ottobeuren onde encontramos e conversamos com uma família de São Paulo, de São José dos Campos, que reside atualmente na Suíça, onde trabalha na Scânia. A recepção iniciou com um desfile na rua até o local do salão, puxado pela orquestra local trajada a rigor. Terminado o desfile, a orquestra fez outras apresentações musicais, incluindo o Hino Nacional Brasileiro, que foi cantado pelos integrantes e o Hino Nacional Alemão. Um grupo de 4 músicos tocou músicas com o instrumento “Alpenhorn”, característico da região dos Alpes. Na ausência do prefeito, falou o seu vice, que cumprimentou a todos e deu as boas vindas, destacando a importância da amizade já existente entre brasileiros do sul e alemães do sul. Após falou o organizador da viagem Hans Rothärmel, que destacou a construção dos laços de amizade e satisfação de que estamos encerrando a viagem em Mark Rettenbach, sendo como uma grande final. Após falou Lucildo Ahlert, agradecendo a bela recepção e destacando o círculo de amizade já existente entre as pessoas de Mark Rettenbach e as pessoas do Vale do Taquari. Após houve o encontro entre os integrantes e seus hospedeiros. Antes de se dirigirem às casas, todos puderam comer um delicioso lanche, acompanhado com a deliciosa cerveja do sul da Alemanha. Alguns hospedeiros ofereceram uma janta no “Gasthoff Adler”, da qual participaram Fritz e Glaci, Derli e Marlise, Lucildo e Gerta, além do Hans. Chegando na casa dos hospedeiros, telefonamos para BRA em São Paulo para tratar dos detalhes da volta de Colônia a Madri.
     
                                        Em Lindau.

Porto lagustre em Lindau, na triplice divisa da Alemenha, Suíça e Áustria.
     
                    Desfile e recepção em Mark Rettenbach.

                      Músicos em Mark Rettenbach.
DIA 04 DE AGOSTO DE 2007, SÁBADO.

Às 09:00 horas, saída de Mark Rettenbach para o último dia de passeio. Chegamos às 11:30 horas no Castelo “Neuschwanstein”, olhamos e fotografamos por fora, pois não tinha tempo suficiente para fazer visita ao castelo e Alpes em um dia, para o castelo seria necessário um dia inteiro conforme Hanz. Durante a viagem passamos por Markobersdorf, que está a 800 metros acima do nível do mar. Nesta cidade tem uma fábrica de tratores. Às 11:00 horas chegamos a Füssen, uma cidade antiga com mais ou menos 20 mil habitantes, que serviu como ponto de comércio entre Bavária e a Áustria. Esta cidade tem como principal atração os dois castelos, o 1° castelo, era o Hohenschwangau, " target="_blank">http://www.viagensimagens.com/cast_hohenschwangau.htm> e o 2° castelo, chamado de "Neuschwanstein". <http://www.viagensimagens.com/cast_neuschwanstein.htm>
Olhamos os dois castelos por fora, estes castelos foram construídos antes da unificação da Alemanha.  Saímos do local com 35 minutos de atraso. Em direção ao Lindarhof, passamos pela Áustria e região do Tirol, paramos algumas vezes para fazer fotografias dos Alpes e do rio. Fomos contornando os Alpes e tendo do lado o lago com uma profundidade de até 100 metros em alguns lugares. Finalizamos nosso passeio no “Castelo Lindarhof”, muito bem decorado por fora. Estava programado para durante o caminho ainda visitar uma igreja muito bonita, mas devido aos atrasos, ficou fora do programa.   Chegamos a Mark Rettenbach às 17:15 horas. Todos foram para casa dos hospedeiros, pois a noite tinha apresentação às  20:00 horas no centro de Mark Rettenbach, num salão reformado recentemente, local muito bonito. Encerradas as apresentações, todos foram para casa arrumar as malas para irmos ao aeroporto de Köln, na manhã seguinte.
    
                                Castelo "Hohenschwangau".

                             Castelo "Neuschwanstein".                                              
     
                             No Castelo em Lindarhof.

                                 No Castelo em Lindarhof.
DIA 05 DE AGOSTO DE 2007, DOMINGO.

Hoje iniciamos nosso retorno ao Brasil. Estamos deixando para trás um lindo país, o qual aprendemos a respeitar e admirar. Ótimas pessoas que nos acolheram tão bem e amizades verdadeiras que valerão por toda a vida. Experiências inesquecíveis, lugares extraordinários, lembranças que carregaremos para sempre. Saímos de Mark Rettenbach às 07:00 horas da manhã. Depois de arrumarmos nossas bagagens no ônibus e no caminhão que transportará algumas malas até Madri, seguimos viagem a Colônia. No meio do caminho paramos algumas vezes para comprarmos lanches e chegamos assim às 14:00 horas no aeroporto. O check-in ocorreu normalmente e às 16:10 horas, como previsto, embarcamos no avião da companhia Germanwings. Nosso vôo foi realmente muito turbulento. Meu Deus, quando medo. Isso quem pode afirmar são nossos colegas Marcel e Arthur. Com a benção de Deus, chegamos em terra firme sem complicações. Logo depois do desembarque , fomos guiados ao nosso hotel   em Madri por uma guia. Esse hotel por sinal é muito bem localizado com ótimas condições de infra-estrutura, resumindo, bem show. À noite fomos a uma pizzaria perto do hotel. 

                           Campos ao sul da Alemanha.
     
                      Aeroporto em Köln (Colônia) na Alemanha.                                                    
DIA 06 DE AGOSTO DE 2007, SEGUNDA-FEIRA.

 Neste dia, pela manhã ficamos livres para passear por onde quiséssemos, ficando marcado para às 11:30 horas, o retorno para o hotel.  Grande parte do grupo partiu cedinho para o centro da cidade de Madri para visitarmos alguns pontos turísticos, em especial o estádio Santiago Bernabéu. Como todo o comércio abre às 10:00 horas, realizamos um passeio rápido e partimos para o “Tour” pelo estádio. Foi muito interessante, mas uma correria!!! Às 11:30 horas estávamos de volta ao hotel, onde nos reunimos com o pessoal e, às 12:30 horas partimos para o aeroporto. Depois de muita espera e confusão, escotaram as passagens de avião e treze pessoas do grupo tiveram que ficar no hotel em Madri. 
     
                                  Madri, Espanha.
     
                   Aeroporto em Madri, Espanha. 
DIA 07 DE AGOSTO DE 2007, TERÇA-FEIRA.

 Realmente conforme já foi descrito no dia anterior, após muita espera, e até confusão por causa da falta de lugares no vôo da BRA, naquele dia, embarcamos com destino ao Brasil. As treze pessoas que ficaram em Madri, foram acomodadas em hotel até o dia seguinte. Ainda com dia claro, ao sobrevoar o Oceano Atlântico, avistamos as Ilhas dos Açores, e a impressão que tivemos do alto, é que elas pareciam totalmente devastadas, sem árvores, sem verde, apenas solo descoberto e rochas.  Chegamos ao aeroporto do Recife às 21:00 horas, horário do Brasil, no dia 06/08/2007, após uma viagem muita tranqüila de 10 horas. Às 21:30 horas, seguimos até o Rio de Janeiro, aonde chegamos às 23:45 horas. Ao apanharmos as nossas bagagens, damos pela falta de algumas malas dos nossos integrantes e de outras pessoas que estavam no mesmo vôo. Imediatamente foi feito o registro com as autoridades competentes. Passamos pela alfândega sem problemas, e dali em diante, era só esperar até às 06:00 horas da manhã do dia 07, terça-feira. No aeroporto do Galeão no RJ, cada qual teve que inventar um passatempo. Alguns tomavam chimarrão, conversavam, outros passeavam, outros cantavam, alguns dormiam no chão ou nos bancos. Às 06:15 horas começou o chek-in, e às 08:15 horas partimos com avião da Web Jet, com destino á POA, onde chegamos às 10:00 horas. Após estarmos com nossas bagagens, embarcamos do ônibus da Empresa  Bergatur de Encantado, que estava a nossa espera. Enfim estávamos novamente em casa, cansados, mas contentes e alegres pela viagem que tivemos a oportunidade de fazer e pela recepção que tivemos junto aos nossos familiares.

 
CONCLUSÃO:

 

 Esta viagem nos ensinou muitas coisas, nós trouxe muitos conhecimentos da realidade do mundo e da terra dos nossos ancestrais. Conhecemos lugares, cidades, castelos, museus, entre outros, tudo lindo, maravilhoso. Conhecemos pessoas especiais, fizemos novas amizades que não esqueceremos tão cedo, e com o passar dos dias, sempre nos voltarão à memória, os bons momentos que passamos junto aos nossos hospedeiros, aos quais somos gratos pelo resto dos tempos pelo que nos mostraram e fizeram por nós. O saldo da viagem foi positivo, trazemos as malas e as nossas mentes cheias de coisas boas, novos conhecimentos, novas amizades, novas idéias para o futuro. PARABÉNS A TODOS. OBRIGADO A TODOS. ATÉ BREVE, E QUEM SABE, “AUFWIDERSEHN DEUTSCHE KAMERADEN”.

 
Veja mais fotos da viagem em nosso Site, no link "Galeria de Fotos".

 

 

 

 

Patrocínio

Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner

Contador

1245201
HojeHoje1248
OntemOntem1486
Essa semanaEssa semana6110
Esse mêsEsse mês17871
TudoTudo1245201
US